ENTRE EM CONTATO COM A NATUREZA, SUA SAÚDE AGRADECERÁ

Vocês já devem ter notado o crescente número de pessoas jovens com doenças graves, não é?

Então esse texto pode ajudar você a entender parte desse quadro contemporâneo.

Se fizermos uma uma pesquisa rápida sobre “pisar no chão”, teremos a real noção de um dado chocante:

Hoje em dia ninguém mais pisa no chão.

Entre prédios altos, ar poluído, água cheia de tratamentos, stress diário, redução de horas de sono e tantas outras coisas, adoecemos.

E há uma tendência a agravar esse quadro.

Estar em contato com a terra pode ser parte da sua medicina.

São mais de 400.000 estudos mostrando que processos inflamatórios estão correlacionados com doenças crônicas. E, no caso dos EUA, cerca de 75% da receita gasta com saúde está alocada em doenças crônicas.

Doenças como Câncer, Cardiopatias, Obstrução Pulmonar Crônica, Diabetes, Osteoporose e muitas outras, como asma, Alzheimer’s, Cirrose Hepática, Esclerose Múltipla, Lúpus e etc, estão entre as doenças que poderiam ser evitadas com um metabolismo menos ácido/inflamado.

Essa inflamação, muitas vezes causadas pelo stress oxidativo, poderia ser controlada a partir de uma atitude simples: pisar no chão.

Condutividade

A mais nova revolução tecnológica será, provavelmente, guiado pela união entre a tecnologia e sistemas vivos de condução de energia.

flexível, leve, biodegradável e renovável.

A nova revolução tornará tudo mais “vivo”. Além de vivos, o material será feito com material biodegradável e totalmente flexíveis. Não se assuste com essas projeções de telas flexíveis, telefones embutidos na pele e tudo que vemos em filmes de ficção: nosso corpo é um condutor de energia.

Porém voltaremos ao norte do assunto

Estar em contato com a Terra é capaz de melhorar quadros de stress oxidativo: a produção de radicais livres, causador de doenças e reconhecido como um dos principais agentes do envelhecimento.

A condutividade biológica torna capaz a troca de elétrons com a Terra, fazendo com que a produção e ação de radicais livres sejam “tamponados” nesse processo.

Isso explica o fato de, por exemplo, diabéticos apresentarem cicatrizações mais rápidas quando separam períodos do dia pra andar descalços. Nesses processos inflamatórios são criadas “barreiras inflamatórias” que dificultam a cicatrização e restauração de tecidos do corpo. Essas barreiras são “desmontadas” pela recepção de elétrons vindo da Terra, acelerando o processo de recuperação.

Representação do campo magnético

Mas é só isso? Em que isso ajuda praticantes de esporte?

Além de patologias crônicas, o Grounding (entenda como “trocar energia” com a Terra) pode ajudar na recuperação de tecidos pós-stress.

👉🏻Em indivíduos submetidos à estímulos intensos, os que passam mais tempo descalço conseguem melhor recuperação estrutural e redução de dores tardias relacionadas ao estímulo.

👉🏻Dormir com aterramento tende a melhorar os níveis de cortisol diurno e a melhorar a percepção da qualidade do sono, diminuir dores e ainda reduzir o nível de stress.

👉🏻Oito participantes realizaram um exercício para o gastrocnêmio. Ao final das 2x20reps, eles eram submetidos ao mesmo regime alimentar e dormiam o mesmo período durante 3 dias seguintes. Dos 8, quatro foram submetidos à uma espécie de “aterramento” entre o músculo gastrocnêmio e a sola dos pés, além de dormir numa cama onde era feita aterragem.

Os que usaram aterragem, durante os 3 dias seguintes, apresentaram menor percepção de dor muscular, menor inflamação local (medida por pressão) e ainda melhor percepção de sono.

👉🏻Em casos onde marcadores de inflamação, células brancas, estão elevadas, a utilização de aterragem apresenta melhor evolução do quadro inflamatório.

Isso pode ser visto em testes onde o grupo, que utiliza esse recurso, apresenta menor concentração de células inflamatórias quando comparados com quem não usa o recurso (controle e placebo).

👉🏻A quantidade de Neutrófilos, responsáveis pela defesa e resposta inflamatória, é diminuída em usuários de aterragem.

Talvez esse fator explique a melhor e mais rápida recuperação de vermelhidões, inchaços e dores em lesões, em usuários desse recurso.

Mas qual é a recomendação?

Infelizmente, ou não, é difícil fechar uma recomendação sobre o tema. Ao que se sabe na ciência, morar em andares altos, ter uma cama suspensa do chão, usar calçados todos os dias, não são facilitadores dessa troca de elétrons com a Terra.

Se não tem recomendação, tem um conselho: sempre que puder, caminhe descalço. Fará bem para a sua vida 🙏🏻

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: