PÉS PRONADOS AUMENTAM O RISCO DE LESÕES: saiba como corrigir isso

Embora ocupe apenas 5% da área corporal, a sola do pé possui uma importância imensa na saúde e rendimento.

??Das suas funções, podemos destacar:

▫️1 manutenção do equilíbrio

▫️2 absorção de impactos

O arco dos pés tem papel fundamental nessas funções, enquanto que ausência dessa formação pode resultar em problemas não tão simples assim.

Eun-Kyung Kim e PhD Jin Seop Kim avaliaram a influência de exercícios para os arcos dos pés para, posteriormente, compararem os possíveis benefícios dessa intervenção.

Navicular Drop Test (usado nessa pesquisa para avaliar o índice de pronação dos pés)

Dos 14 participantes (10 homens e 4 mulheres), dois grupos foram formados:

•Grupo A: Sete pessoas executavam exercícios para o arco dos pés.

•Grupo B: Sete pessoas usando palmilha ortostática.

??Os exercícios foram divididos da seguinte maneira:

▫️Grupo A: Séries de 30min, 3x/semana e duraram 5 semanas.

▫️Grupo B: Usar a palmilha em treinos de corrida/caminhada, por 30min e 3x/semana, totalizando 5 semanas.

Ao final do período de intervenção, os dois métodos apresentaram melhora no equilíbrio e ganho de arco nos pés.

❗️A redução do drop, um índice de pronação do pé que tem correlação com a redução do arco nos pés, reduziu de 11.4mm para 7.7mm em quem fez o treino de força para a sola dos pés.❗️

Exemplo de como a pronação, causada pela falta de força na sola dos pés, oferece risco para estruturas)

Mas.. e daí?

Até onde sabemos, músculos fracos não possuem uma longa resistência e, ao fadigarem, acabam por impor adaptações que podem gerar ou piorar lesões.

No caso dos arcos do pé, por exemplo, se os músculos fadigam algumas funções vão por água abaixo:

▪️Estabilidade (evitar torções)

▪️Redução de impacto

▪️Equilíbrio durante a marcha (caminhada ou corrida)

Em casos como esse, os ajustes podem gerar tanto um aumento de stress no ligamento cruzado anterior, quanto uma maior desidratação do disco intervertebral na coluna lombar. Fora outros problemas, como também a redução do feedback moto-sensorial: menor capacidade do cérebro aferir a posição correta dos pés, o que seria um risco aumentado de quedas, por exemplo.

Como é feita à medida do ângulo de pronação, porém o Navicular Drop Test tende a ser mais fácil para análise.

Um consenso?

Ainda é difícil, e seria desonesto, afirmar que intervenções conservadoras como a prática do treinamento de força para a sola dos pés, mostra-se mais eficiente que a intervenção com palmilhas ortostáticas em diversos estudos.

Então, se quiserem realmente melhorar os pés planos, a melhor alternativa parece ser realmente o treino de força específico.

O valgismo dinâmico dos joelhos pode ser causado pela pronação dos pés que, ao deformar a estrutra e o alinhamento padrão, aumenta o risco de sobrecargas em ligamentos cruzado anterior e colateral medial.

Alguns pós-scripts:

•quanto mais os joelhos forem projetados à frente, maior drop navicular será realizado.

•quanto maior o drop, mais alterada será a estrutura articular e mais reduzida será a capacidade dela suportar sobrecarga.

•treinos proprioceptivos, caminhar em gramados/areia e afins, mais reforçará essa estrutra.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: