SEGUIR OU NÃO UM TREINAMENTO NAS FÉRIAS?

Um estudo publicado em 2018, feito por JENSEN, GLEASON e VANNESS, comparou os resultados de 4 semanas de treino não-estruturado no desempenho de atletas de rugby.

Esse período de 4 semanas correspondem às férias de fim de ano desses atletas, onde a equipe pára de treinar e os treinadores ficam entre duas opções:

a) Preparar um ciclo de treinos e dietas para esse período.

b) Deixá-los livres pás treinar e se alimentarem como quiserem.

E foi justamente o resultado dessas duas opções que o estudo comparou: férias estruturadas ou não-estruturadas.

Dentre os dois grupos, o grupo que ficou à vontade pra treinar e se alimentarem como quisessem, tiveram ganhos de desempenho esportivo quando comparados com os que fizeram esse período estruturado.

Exceto pelo aumento de peso corporal, provavelmente ocasionado pela redução da atividade física e a alimentação não balanceada, os que não fizeram um período estruturado foram melhores em tudo.

A redução do stress, o aumento da testosterona e a melhor recuperação da função adrenal, são os prováveis agentes dessas melhorias de desempenho.

Esses resultados mostram que, pelo menos quando trata-se de atletas, deixar as 4 semanas de férias sem programação de treinos é benéfico para o rendimento esportivo.

Porém, em esportes onde o peso corporal é importante para o rendimento, uma orientação quanto à alimentação a seguir seja importante.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: