CANNABIS e SAÚDE: Os benéficos fitoterápicos

Você sabia que a Cannabis Sativa pode trazer diversos benefícios para sua saúde? Inclusive ela parece ser uma das chaves para um futuro promissor no combate à OBESIDADE e DIABETES!.
Não sabia? Convido você a tirar um pouco desse preconceito e ler um pouco sobre essa informação.Usada desde vários milhares de anos atrás, a Cannabis Sativa vem se tornando uma aliada da medicina fitoterápica para a cura/tratamento de diversas doenças. Sim, ela não tem apenas um uso recreativo. A planta/flor pode ser muito útil para a saúde. Amenizando, tratando e até aumentando a expectativa de vida.
Doenças, ou comportamentos, que alteram o padrão alimentar costumam ter um caminho padrão: Sistema Endocannabinóide.
Tal sistema atua no tecido adiposo (gordura) e tem sua expressão associada à lipogênese (formação de tecido adiposo), sendo ativado por demanda e, um dos seus receptores responsáveis por essa via, o CB1 está espalhado por muitas regiões do corpo, como mostra a figura abaixo:
Esses receptores estão associados ao controle e balanço energético e, um aumento da sua atividade tende a aumentar o peso corporal e, como consequência do aumento de peso corporal, um aumento da expressão de CB1 também é notado. O ciclo de Obesidade/Fome é influenciado por essa via.
Em ratos, a desativação de CB1 está correlacionada com a redução da ingesta alimentar e redução de peso. Porém, quando as dietas são equalizadas, os ratos que tiveram bloqueio de CB1 a redução de peso corporal foi significativamente maior que o grupo submetido a mesma dieta, porém com CB1 ativo.

Isso demonstra que a Obesidade e o Ganho de Peso não estão relacionados somente ao padrão alimentar.
?Em um estudo publicado por LEVENDAL e colaboradores em 2012 na revista Phytomedicine, foram comparados os resultados:
? Dieta rica em carboidratos com e sem injeções de THC.
? Dieta “limpa”, com e sem injeções de THC.
Os resultados
?Todos os ratos ganharam peso, porém algumas informações específicas chamaram bastante atenção:
?Nos que fizeram a dieta “limpa”, os ratos que receberam injeção de THC aumentaram a quantidade de comida quando comparados com os que não receberam THC.
Ou seja: comeram mais.
E o que você esperava no peso? Maior ganho de peso, certo?
Porém aconteceu o contrário: mesmo comendo maiores quantidades de comida, os ratos que receberam THC tiveram menor ganho de peso.
?Ratos obesos que receberam THC injetado aumentarem menos a quantidade de alimento consumido, quando comparados com os que não receberam THC.
Comeram menos e ganharam menos peso também.
?No grupo de ratos saudáveis, os que receberam injeção de THC aumentou mais a ingesta alimentar que quando comparado ao grupo saudável que não recebeu THC.
Mesmo tendo comendo maior quantidade de alimentos, o grupo com THC ganhou menos da metade de peso corporal do grupo que não de recebeu THC.

Por que o efeito é diferente entre grupos obesos e saudáveis?
A explicação pode estar no modelo bifásico da substância cannabinoide.

Resumidamente, o modelo bifásico consiste em buscar equilibrar o balanço energético do metabolismo, mediando o comportamento alimentar e controlando o ganho de peso.
? Isso foi visto nos ratos obesos, pois esses sofreram uma inibição do apetite e um ganho de peso menor que o grupo obeso sem THC (3,76% vs 14,33%, respectivamente).
? Já no grupo de ratos magros, a utilização de THC fez com que o apetite fosse aumentado – resultando em maior ingesta alimentar – porém ganhando menos peso corporal que o grupo sem THC (5,83% vs 12,44%, respetivamente).
??Esse padrão de resultado foi visto em diversos estudos conduzidos pelo mesmo autor, Levendal.
Além dele, Megulies e Hammer (1991) compraram o resultado da administração de THC intravenoso em duas situações:
??Doses Altas 5-10mg/kg de peso corporal
??Doses Baixas 0.2mg/kg de peso corporal
Como resultado, as doses mais altas geraram inibição do apetite e as mais baixas um aumento do apetite.
É preciso ainda investigar se esses efeitos são causados pela combinação de THC+CBN+CBD, se há uma sinergia entre eles ou se apenas um deles faria esse trabalho.
A princípio desse estudo, a utilização da combinação resultou em um menor dano da dieta indutora de obesidade. Além de ter gerado uma maior proliferação de celular Beta-Pancreática e uma proteção à morte celular.
Além disso, o uso do composto de THC reduziu o ganho de peso, reduziu o “depósito” de gordura, manteve estáveis os níveis de insulina e ainda aumentou o metabolismo, induzido pelas alterações de expressão de citocinas.
Um grande abraço!

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: