CONSTRUA UM CORE FORTE!

 Quando pensamos em desempenho, seja em modalidades esportivas ou até mesmo em atividades cotidianas (ex subir escadas, carregar bolsas de compras dentre outras), precisamos pensar em estabilidade e transferência de Força.

Deixe-me tentar dar um exemplo para explicar melhor:

 Imagine um carro com a estrutura/carroceria dele flexível demais. Concorda comigo que, por maior a força que ele tenha, ele não será tão eficiente para usar toda a força? Isso acontecerá possivelmente por dois motivos: ele se deformará se aplicar sua força nas rodas e/ou se partirá por não ser capaz de sustentar a força aplicada.
 Assim fica mais fácil entender o porquê da estabilidade do “centro” do corpo (vamos chamar assim para ficar mais fácil de entender, o que seria o CORE) ser fundamental para a melhoria do desempenho esportivo, não é?

músculos do tronco

 A Pesquisa Realizada
 Como melhorar a força dos músculos do CORE para que eles suportem as “perturbações” sem perder a estabilidade?
 Lee e McGill estudaram e testaram dois métodos de treinamento de força e para o CORE.
 O estudo teve o seguinte design:
  • 6 Semanas (total de 27 sessões de treino)
  • 24 homens adultos saudáveis (12 inexperientes e 12 atletas experientes de Muay Thai)
  • Grupos: Isométrico (8), Dinâmico (8),  Controle (8). obs: cada grupo era subdividido com 4 indivíduos inexperientes e 4 experientes.

treino para core

 O grupo que realizava exercícios Isométricos utilizou exercícios em que o torso ficava estabilizada, tal como caminhar segurando um kettlebell somente de um lado. Já o grupo Dinâmico realizava aquelas conhecidas atividades em que o torso se movia, tal como o Twist Russo com Medicine Ball.
  Os Resultados
 Comparando os resultados, entre os grupos, o grupo de treinamento isométrico foi o que expressou maiores ganhos de força e estabilidade do CORE. Tanto os já experientes quanto os inexperientes obtiveram os melhores resultados com esse método. Isso é bem interessante se pensarmos em otimizar e tornar o treino mais eficiente para nossos alunos/atletas que necessitam desse tipo de treino.
 Talvez o resultado do grupo isométrico tenha sido melhor graças aos estímulos, mais duradouros, serem característicos de ganhos de hipertrofia da musculatura. Essa hipótese é bem aceita por sabermos que o tempo sob tensão que a musculatura é submetida, que no grupo de exercícios isométricos foi maior que no grupo de exercícios dinâmicos, é um fator que gera adaptações de hipertrofia.

treino de força para a coluna

 Ainda assim, o treino dinâmico pode ser uma estratégia interessante a ser usada como aquecimento de alguma modalidade esportiva ou até mesmo para o Treino de Força.
  Planeje um treino eficiente
 Em minha rotina como Personal Trainer e Preparador Físico, costumo utilizar exercícios como pontes centrais/dorsais, abdominais dinâmicos e extensão lombar como método de aquecimento. PRINCIPALMENTE quando a sessão de treino preconiza a combinação que mais gosto: Força Máxima com Peso Livre.
 Então vamos lá! Usem a informação para melhor desenvolver o seu trabalho e torná-lo mais seguro para seus alunos. Não desprezem os dois métodos, há sempre uma maneira de “linkar” diferentes métodos na periodização do Treinamento de Força.
 Pensem também na especificidade: analise o esporte em questão, o padrão de apoio, distância de deslocamento, mudanças de direções, a inclinação do corpo e diversos outros padrões gestuais/específicos para entregar o que realmente estamos propondo.
 Um abraço e bons treinos!
ps: Já tenho outro material postado sobre pesos livres e músculos do CORE, já leram? LINK

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: