Emagrecimento: O Padrão Alimentar e o Índice Glicêmico

 Quantificar o valor calórico dos alimentos não parece mais ser a melhor estratégia para o controle de peso corporal. 
Grande parte das informações expostas nos rótulos é imprecisa, pois está fundamentada apenas em um sistema de medidas e ignorando um sistema complexo de digestão.
 Alguns estudos mais recentes têm demonstrado que a quantidade de calorias absorvidas dos alimentos é dependente de diversos fatores:
✔️ Espécie consumida
✔️ Preparo do alimento
✔️ Bactérias que habitam o intestino
✔️ Gasto calórico para digerir o alimento

 O sistema de produção e a evolução humana nos permitiram potencializar a captação dos nutrientes dos alimentos.
Cultivar, armazenar e aquecer, entre outros hábitos modernos, aumenta a captação protéica, a absorção de carboidratos e outros macronutrientes. E foi essa evolução que nos permitiu desenvolver mais o nosso cérebro, estocar mais energia, suportar temperaturas mais baixas e tudo mais.
 Dentro disso tudo, pagamos um preço. O crescente/exagerado consumo de alimentos industrializados com suas altas concentrações de sódio, gordura, carboidratos e etc etc etc, nos trazem riscos potencialmente altos de desenvolver doenças metabólicas e distúrbios hormonais.
Uma dica simples?
Se precisa emagrecer, mantenha uma alimentação mais orgânica, integral e evite alimentos de alto índice glicêmico.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: